Implante Cone Morse: uma tendência na Implantodontia?

Novidades

06

abr 2018

O Dr. Ernani Tadeu de Souza recebeu a PecLab, em sua clínica, para nos falar sobre o implante cone morse, seus benefícios e vantagens. O Dr. Ernani Tadeu acumula muita experiência e conhecimento na implantodontia e é atualmente um dos maiores especialistas em implantes cone morse do país. Além de Mestre e Especialista em Implantodontia pela São Leopoldo Mandic (Campinas), ele é especialista em próteses dentárias pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Dr. Ernani, há quanto tempo o senhor tem usado o implante Cone Morse?

Eu uso o Implante Cone Morse desde que foram lançados os primeiros implantes da Bicon*.

Que vantagens e benefícios o implante Cone Morse proporciona para o paciente quando comparado com os implantes de Hexágono Externo (HE) e Hexágono Interno (HI)?

A conexão morse veio como uma evolução aos implantes HE e HI, que são usados até hoje. O cone morse é muito superior quanto à adaptação da parte protética, com um encaixe perfeito da interface. Tem vantagens, não somente o selamento biológico da conexão, mas também biomecanimente e esteticamente, e apresenta maior dinamismo nos procedimentos.

Na utilização do implante, qual procedimento o senhor recomendaria aos implantodontistas para que alcancem de fato o efeito cone morse?

Recomendo o procedimento de se fazer a moldagem de transferência sobre o componente protético (após seu torque de fixação) e não sobre a cabeça do implante, para se obter de fato o efeito de cone morse e se preservar o selamento biológico na interface do implante com o componente protético que é umas das principais vantagens desse implante.

Dr. Ernani, muitos implantodontistas acham a confecção da prótese do implante cone morse mais difícil e mais cara que dos implantes HE e HI. Qual a sua opinião sobre isso?

Toda vez que você vai fazer alguma mudança, no trabalho ou em qualquer coisa da nossa vida, nós saímos de uma coisa chamada zona de conforto. Fomos acostumados a trabalhar com Hexágono Externo, depois fomos para o Hexágono Interno e algumas pessoas (implantodontistas) não queriam aceitar a princípio, mas aprenderam a trabalhar com ele (Cone Morse). Tudo demanda um esforço para sair da zona de conforto e entrar em outro sistema. Então, no período de adaptação, tudo é diferente, portanto um pouco mais difícil. Tudo se torna fácil quando você chega num ponto que tem todos os conceitos na cabeça e faz tudo quase automaticamente. Hoje eu vejo que é mais fácil trabalhar com CM, do que com HE e HI, e não somente mais fácil, mas também porque gera melhores resultados. Por isso vale os profissionais estudarem e avaliarem os resultados e benefícios dos produtos. Se formos pesquisar realmente o que é mais importante no CM, a meu ver, é o selamento entre o implante e a conexão, o que influencia na questão biológica.

O implante Cone Morse parece não deixar dúvidas em relação aos implantes HE e HI do ponto de vista da precisão, ausência de quebra do parafuso protético, ausência de desaperto da prótese, benefício estético e do tecido gengival. Você concorda com essa afirmação?

Sim. A instalação infra óssea do implante Cone Morse e sua plataforma switch têm benefícios estéticos e do tecido gengival e a conexão implante/componente, que consideramos quase uma “solda fria”, resulta na possibilidade quase nula de se liberar toxina entre o implante e a conexão, além de quebra ou desaperto do parafuso ser praticamente inexistente.

Dr. Ernani, o Implante Cone Morse CMi da PecLab possui como características o corpo apical cônico com cervical cilíndrica “tapered” e coronal em forma de cone invertido, com as espiras com alto poder de corte e indicado para restaurações unitárias e múltiplas em ossos tipo I, II, III e IV. Qual sua opinião sobre este implante?

Atualmente, esse conceito é uma tendência. Facilita você ter um implante que trabalhe com vários tipos de casos. Hoje a gente tem que minimizar ao máximo nosso arsenal, nosso estoque, se possível trabalhar apenas com um tipo de implante, ter uma quantidade maior de apenas um modelo que funcione bem em todos os casos.

A PecLab juntamente com o LabNano/ CDTN/CNEN da Rede Sibratec está desenvolvendo a superfície nanoestruturada de seus implantes. A superfície do implante juntamente com seu design interferem na biologia da osseointegração?

Depois de um determinado tempo, tanto ele usinado, quanto com a superfície tratada vai ter osseointegração. O grande ganho do tratamento da superfície é inicialmente, quando você prevê o tempo para acontecer a osseointegração. Hoje como vivemos num mundo rápido, isso é bom porque acelera o processo para a colocação da prótese num tempo menor.

* Bicon Dental Implants.


Compartilhe:

Rua Euclásio, 96 - Santa Efigênia, Belo Horizonte - MG, 30260-220

(31) 3481-3749

faleconosco@peclab.com.br